Lamartine Delamare

 

Lamartine Delamare Nogueira da Gama nasceu em Barbacena, Minas Gerais, em 02 de junho de 1862, filho do professor Francisco Antonio Nogueira da Gama e Dona Inácia Josefina Nogueira Alves de Mello Alves. Eram seus irmãos: Eugênio, Aurora, América do Brasil e Abel Nazaré.

Devotado ao aprendizado, Lamartine sempre estudou em boas escolas, acompanhando a carreira profissional do pai. Assim, fez os estudos primários na cidade fluminense de Valença, em colégio de propriedade de sua família. Aos 18 anos, na cidade de Resende, fez parte do curso secundário no colégio São Carlos, onde seu pai era vice-diretor, somente terminando aquele período no “Atheneu Mineiro” na cidade de Juiz de Fora.

Em 1883, estando apto a fazer o curso superior, mudou-se com a família para São Paulo, matriculando-se na Academia de Direito de São Paulo. Neste período, já aflorava a nítida personalidade e vocação de Lamartine. Assim, em 1885, mesmo cursando o terceiro ano do curso de Direito, inaugurou o “Externato Delamare” sob sua exclusiva direção. Como conseqüência natural de seus esforços, esta escola viria a se transformar em “Colégio Delamare” e mais tarde “Ginásio Paulista”. Em 1887, graduou-se com distinção em Ciências Jurídicas e Sociais. No ano seguinte, em 1° de janeiro, casou-se com D. Flávia Chaves Ribeiro.

Entretanto, todo excesso de atividade trouxe consequências. Lamartine, cansado da “Paulicéia”, precisava de repouso e de um recanto tranqüilo onde pudesse prosseguir em sua jornada. O instituto educacional estabelecido na Capital era afamado, com reputação consolidada, atraindo o interesse de várias localidades do interior. Lamartine também buscava uma cidade onde pudesse estabelecer um colégio-modelo voltado à formação da juventude. Assim, acabou optando por Jacareí, onde inaugurou o Colégio Nogueira da Gama em 24 de julho de 1893.

A escola foi estabelecida em uma chácara, local onde também montou residência com a esposa e os filhos Alcebíades, Flávio e Lamartine Filho. No mesmo aprazível ambiente também havia um elegante chalet onde morava seu pai, o velho mestre Francisco.

Lamartine, professor de porte esguio, de lunetas de aros de ouro, simpático, de voz serena e paternal, fez sua escola crescer em prestígio. Em 1899, o Colégio Nogueira da Gama foi equiparado, para todos os efeitos, a melhor escola do Brasil, o Ginásio Nacional no Rio de Janeiro.

O Ginásio Nogueira da Gama fez Jacareí adquirir notoriedade, sendo reconhecida nacionalmente como “Athenas Paulista”. Lamartine também ganhou prestígio local e regional, elegendo-se vereador em 1897, nomeado coronel da Guarda Nacional em 1906 e eleito deputado pelo Partido Republicano Paulista (PRP) para o Congresso Legislativo de São Paulo, no triênio 1907/1909. No entanto, suas atividades políticas desagradaram muita gente. O Ginásio passou a perder alunos e ter dificuldades no pagamento dos professores.
O Ginásio subsistiu até a segunda década do século XX, encerrando suas atividades diante de reformas realizadas no sistema de ensino. Lamartine tentou adaptar-se a outro ramo de atividade, sendo inclusive nomeado para a serventia do 12° Tabelionato de Notas da Capital. Apesar da vitaliciedade do cargo, lá permaneceu por pouco tempo e mantendo seus propósitos, reabriu seu Ginásio em Guaratinguetá em 1920. Lá, novamente obteve êxito, vivendo feliz com os triunfos de seus alunos.

Lamartine Delamare foi um típico educador de elites que mesmo em seus últimos meses de vida, quase inválido, fazia questão de percorrer as dependências de sua escola, inspecionando os serviços. Exerceu o magistério durante 60 anos e educou milhares de brasileiros. Faleceu numa sexta feira, em 28 de março de 1940. Postumamente foi homenageado com nomes de rua, tanto em Jacareí como em Guaratinguetá. Em 1947, o Grupo Escolar do Preventório de Jacareí também recebeu seu nome.


Participe da Conversa